29 abril 2008

Há filmes publicitários bons, depois há aqueles que nos passam para outro nível.



Novinho em folha, com realização de Guy Ritchie.

24 abril 2008

A verdade direita não é a direita de verdade.



Agora sim, o PSD está a tornar-se numa coisa emocionante. Alguns dos candidatos sabem que esta é uma situação semelhante a um conjunto de escravos num navio negreiro a discutir qual salta primeiro borda fora.

20 abril 2008

Let me tell you the facts of Life III:

O festival Dias da música em Belém não foi bom. Muito aborrecido. Um escândalo o CCB cobrar 3 Euros por um bilhete que dava acesso a, praticamente, nada.

Let me tell you the facts of Life II:

Até agora, nenhum dos candidatos à liderança do PSD é bom.

16 abril 2008

Usar o seguinte grupo de letras – E-L-S-A-R-A-P-O-S-O – por esta ordem, neste post, é capaz de me tirar o sono.

A fabulosa entrevista a George Steiner que a Charlotte nos mostrou, deixou-me a pensar.

Qual a diferença entre uma entrevista a George Steiner e uma a Elsa Raposo?

Vivem ambas de slices of life e não me parece que se possam diferenciar pelo público a quem se destinam. As origens, a infância, a carreira ou os progenitores podem ser diferentes mas o objecto entrevista enquanto tal é igual: saber de uma vida alheia.

Assim, a bisbilhotice deve ser encarada como algo natural, que vive dentro de cada um. Falar dos outros é salutar, alivia e, acima de tudo, dá-nos referências, quer sejam de estupidez, quer de sapiência.

Meio a dormir.

Baseio-me na opinião de pessoas que respeito para discordar do acordo ortográfico.

11 abril 2008

Para meditar.




Buda morreu com uma intoxicação alimentar após uma refeição de costeletas de porco.

08 abril 2008

Portugal tem demasiados génios. Até se atropelam uns aos outros.

Todos com obra impar sem dinheiro nem preocupações técnicas ou virtuosismo. De improviso, que é assim que um génio faz: a inspiração aterra e a arte nasce.

Dois problemas:

- Quem espera a inspiração é porque não trabalha o suficiente.

- Em países onde se fazem as coisas como devem ser, dá-se outro nome às pessoas que desenvolvem a mediocridade.

Tive um bom professor que avisava: cuidado que o metropolitano está cheio de músicos talentosos.

03 abril 2008

As montanhas parem ratinhos cada vez mais bonitos e alguns de laboratório também.

Este tempo é certo para assimilar o fracasso dos meios de comunicação em determinadas situações e a manipulação descarada de informação. Basta lembrar o fenómeno gripe das aves e o lucro abismal que a farmacêutica Roche teve na venda do principal medicamento, supostamente, eficaz contra o H5N1.

Se quisermos ir mais atrás, lembrem-se do Bug do milénio e das fortunas que se gastaram e ganharam com tamanha mentira.

01 abril 2008

A batota é a irmã mais nova da mentira.

Os alemães não sabem, ainda hoje, lidar com o resultado da Segunda Guerra Mundial. O grupo de demónios que todos conhecemos condenou o país a anos e traumas que ainda se mexem bem.

São um povo que vive oprimido nas opiniões e condicionado por estrangeiros. Mandam pouco naquilo que é deles e as suas cabeças tiveram que se seccionar de uma forma, para mim, longe de ser pacífica.

Basta ler a História Natural da Destruição de W. G. Sebald para perceber as atrocidades que as forças aliadas fizeram a várias cidades germânicas no final da guerra. Os largos milhares de mortos alemães (desnecessários) desse tempo continuam e continuarão guardados no fundo do armário que existe na cabeça de cada conterrâneo. Não sei sequer se algum dia poderão puxar por esse tema, por causa do senhor do bigode proibido.

A autobiografia de Guntar Grass – Descascando a cebola - lembra-nos todas essas cicatrizes e só os simples ou hipócritas a usam para chamar Nazi ao escritor.