30 novembro 2007

Conclusão de peluche:

O Mohammed é um urso.

Sendo que misturar ursos de brincar, vergastadas, posições de joelhos e gente algemada nem parece muito chocante, assim à primeira vista.

29 novembro 2007

Não respeito em demasia José Saramago, a sua obra e o prémio importante que ganhou.

Não respeito nada um país que ignora um dos seus maiores escritores.

27 novembro 2007

O Grande Arquitecto do Universo da casa.

O conjunto de palavras Tomás Taveira em buscas na internet é responsável por centenas de visitas a este blogue. É obra.

26 novembro 2007

Lost.

Não percebo as pessoas que não têm pressa às sextas-feiras ao fim da tarde. Este não é um bom sinal e denuncia-as como divorciadas ou pior.

22 novembro 2007

Mais uma voltinha.

Não simpatizo muito com o treinador Scolari mas reconheço-o como um excelente profissional, dos melhores que a nossa selecção já teve.

Ontem, depois de mais um dos objectivos cumpridos, o apuramento da nossa equipa para a fase final do Euro 2008, os jornalistas pobres (e com a ingratidão típica dos pobres) perguntaram-lhe tudo menos o que importava.

Ele pô-los no lugar deles e saiu. Abençoado.

21 novembro 2007

Agora mete-se o Natal II.



Anúncio de 1974. Leiam o bodycopy, por favor.

20 novembro 2007

16 novembro 2007

Fack.

O grafitter iletrado e o falso amante estão muito perto.

14 novembro 2007

Cabeças simples.




A Olá tem uma nova campanha publicitária em que Eva Longoria diz: "Sou simples, satisfaço-me com o melhor”.

Resultado: bom produto, boa modelo, péssima agência que se serve duma citação de Oscar Wilde e nem tem coragem de o assumir.

13 novembro 2007

Coisas que irritam ou validam o mau caminho da humanidade em geral.

Hoje, quase todos os automóveis têm os faróis em plástico.

09 novembro 2007

Agora mete-se o Natal.

Chris "Christmas" Rodriguez - para quem deseja substituir o Pai Natal.

"O planeta terra é onde nós vivemos, ao contrário da Quercos e do Miguel Portas"

Obrigado infinitos.

07 novembro 2007

A sorte e o azar são menosprezados.

Como factores decisivos de alguns desfechos, ambos são ignorados por desresponsabilizar e desculpar. A bola que bate no poste da baliza está cheia dos dois e divide-os exactamente ao meio.

A sorte e principalmente o azar, (pelo drama que o polvilha), vivem e são certinhos quando têm que aparecer. Há quem tenha dificuldade em lidá-los porque ainda não abandonou a exigência de uma justificação para tudo.

Eles têm umas costas largas, merecedoras de muito mais palmadinhas do que as que levam.

02 novembro 2007

Ministério do bom gosto XXII.



Casa Museu dos Patudos.

“Singular residência de um homem de bom gosto”.

A colecção de arte de José Relvas numa obra fabulosa de Raul Lino. Em Alpiarça.